Esse dia, algum dia...

Bom, boa noite já.
Como estão todos?
Aqui está tudo nos conformes, apesar de que ando angustiada. Bom, sobre o simulado do qual falei no último post: Fui bem! 3º lugar! E era a prova Fuvest 2009. E fiquei em 2º lugar no simulado "oficial". E nem isso me acalma, apesar de eu ter ficado feliz.
Me sinto meio culpada por não estudar, mas a verdade é que eu não consigo me concentrar, sabe? Eu quero ler "Crônicas Vampirescas", quero escrever tudo o que me der na telha, quero atualizar aqui mais vezes... Mas os dias têm parecido tão curtos que eu não consigo fazer nada. Estou sempre cansada e estou sempre triste, nem que seja só um pouquinho. Sinto como se tivesse uma âncora presa em um dos meus pés. Não consigo me mover, me sinto sempre pesada.
Meu problema é algo estúpido, rídiculo e que me parece sem pé nem cabeça. Sinto falta de sentir algo, eu estou muito... Insensível. Acho que de tanto eu ouvir as pessoas me dizerem que eu não tinha coração, eu acabei encorporando.
Claro que eu sempre quis não ter coração. Não sentir é moleza. Infelizmente, tenho. E é por isso que eu continuo assim. Acho que nada passou. Eu, como diria a música 'Metade', ainda estou em cacos. Isso é tudo culpa, como diria a música "Sanagi" (coloco a tradução aqui ainda hoje) do dia. O dia em que nossa convivência não será mais perdoável. Essas músicas são aparentemente romanticas, mas, eu interpreto de outra forma. Não são só namorados ou namoradas que te ferem. Esses a gente sabe que provavelmente um dia irão nos deixar. Dói mais que qualquer coisa esse dia em que nada mais será perdoável, em que nada mais será o que foi. Nunca é culpa de um só lado, mas é o mais fraco quem sempre cai. E quando alguma coisa cai, ela quebra. Quando uma pessoa cai, ela também quebra. Se parte em mil pedaços. Eu me parti em mil pedaços. E é como um disco riscado, repetindo, repetindo, repetindo.
Mas, é culpa minha. Ultimamente eu tenho achado que tudo é culpa minha. Talvez eu me culpe demais. De onde veio esse complexo?
E o que eu posso dizer do meu medo de falhar? Por que eu tenho sempre que tentar fazer tudo certo, sem me permitir falhar? Talvez seja pra não me sentir inferior, fui muito tempo tratada como se fosse menos. Seria algum tipo de "Falhofobia"? @_@'
E mesmo assim, eu sempre mantenho o mesmo jeito...
Talvez essa seja a razão pela qual eu sempre tenha me apegado aos livros e aos cadernos, porque eles não mentem pra mim de propósito, porque não me rejeitam nem me tratam como se eu fosse escória da sociedade. Talvez por isso eu goste tanto de Anne Rice, porque seus personagens entendem muito bem o que é estar sempre deslocado, nunca ser tratado com o devido valor.
Mesmo porque são nas histórias que eu mostro o que sou. Elas não vão me repreender por isso.
Chega, porque se eu for reclamar de tudo o que me incomoda, não vai caber num post só. Acho que estou lendo muito o
"Música para cortar os pulsos" ¬¬'.
Vamos ao Sanagi. Aliás, a letra e a tradução eu peguei direto do encerramento de XxX Holic - Manatsu no yoru no yume. Foram longos 30 min. de trabalho, mas valeu a pena ;)

Sanagi - Crisálida
Suga Shikao

Karada no Usui nenmaku wo chokusetsu
A fina membrana do corpo
BETABETA to sawarareru you na
É pegajosa quando tocada diretamente
Anata no sono mushinkei na yubi mo
Esses seus dedos insensíveis
ZOKUZOKU shite kirai ja nakatta
Não é que eu odeie a excitação que eles me causam
Demo itsudatte anata to kitara
Mas algum dia, quando eu me aproximar de você
Houtte oku to uso bakari
Você me deixará sozinho e apenas mentirá para mim
Watashi no koto wo baka da to
Como você sabia disso desde o começo
Hajime kara omotte ita kuse ni
Você sempre pensou que eu era um idiota

Konna hi ga kuru to
E pensar que esse dia chegaria
Omoi mo shinakatta kedo
Eu nem pensei nisso
Mada soko ni anata ga
Naquele lugar eu ainda posso
Iru kehai sura kanjiru no
Sentir a sua presença
Anata ga inaku natte karamou zutto
Desde que você se foi para sempre
Karada wa SANAGI iro ni natte kawaite
Meu corpo tomou a cor de uma crisálida
Fuyu no samui heyo de umarekawaru no
No cásulo com o frio do inverno no qual renasci
Marude sore wa utsukushi chou mitai ni
É como se eu fosse uma bela borboleta
Mada nurete iru sono hane wo
Essas asas que ainda estão molhadas
Dareka ni dame ni sarenai you ni
Não te deixam fazer algo com alguém
Sukoshi zutsu hiraite iku no
Pouco a pouco começam a se abrir
Sora wo tobu yume wo mite
E vêem o sonho de voar pelo céu.

Sonna hi ga fui ni
Se esse dia repentinamente
Yatte kuru no da to shitara
Chegar para nós
Sono hane de doko he
Com essas asas
Tonde ikeba ii kashira
Para onde você gostaria de voar?

Kachiku ni namae ga nai you ni
Como um animal domado e sem nome
Anata no namae wo wasurete shimau no
Eu esquecerei completamente o seu nome
Omoidashite naite shimau yori mo
Mais do que chorar por causa disso quando eu me lembro
Anata jitai wo keshite shimau no
Eu apagarei completamente a sua existência.

Sonna hi ga itsuka
Esse dia, algum dia
Yatte kuru no deshou ka
Em algum momento chegará?
Anata to no hibi ga
Os dias com você
Mou yurusareru no deshou ka
Não serão mais perdoáveis?
Sonna hi ga itsuka
Esse dia, algum dia
Yatte kuru no deshou ka
Em algum momento chegará?
Subarashii hibi ga
Os dias maravilhosos
Itsu no hi ka
Que dia será esse?

Tudo bem, só algumas estrofes de "Sanagi" que podem ser interpretadas de outra maneira. Essa música sempre me lembra Conde Cain. Que saudades de algum mangá bom como aquele! Y_Y
Bom, gente, hoje eu acordei muito cedo, estudei Física o dia todo e estou super cansada T_T Vou terminar de fazer minhas coisinhas aqui e já vou dormir. Amanhã: História.
Desculpem esse post depressivo, mas como as provas são semana que vem, eu sempre fico assim... Bom, semana que vem eu não apareço.
Tenham uma ótima
semana!
Tenie F. Shiro.




- Postado por: Tenie F. Shiro às 00h02

[ ]

___________________________________