Don't stop belivien'

Boa tarde!
Tudo bem?
A semana tá normal. Chataaaaaaaa! ¬¬' Tive uns contra-tempos e etc, mas, tudo bem...

Bem, deixando esse assunto de lado, prometi falar da série Glee, que passa, atualmente, na FOX, às 22:00, nas quartas (logo após One Tree Hill).
Começou semana passada, e eu, como estava desde Agosto seca pra assistir, não perdi! E, hoje, só elogios! Glee é uma série fantastica, divertida, contagiante! Até minha mãe deu uma olhada (ela só gosta de Supernatural, não assisti outras coisas n.n''')! Ela acha que o Cory Monteith, que interpreta o jogador de futebol Finn, é o novo John Travolta. Eu acho que ele ainda tá longe de ser o tio John, e, além do mais, eu gosto mais do Chris Colfey, que interpreta o interessado em moda Kurt. Ele tem um timbre rarissímo, encantador!*-* Além de ele próprio ser encantador, também... *¬*
A série gira em torno de uma escola norte-americana que está meio decadente, tanto que já começa mostrando que a máquina de café da sala dos professores foi interditada por falta de verbas. A história começa com Will Schuester, o professor de espanhol do colégio, que, assim como sua esposa, já estudou naquela escola, tendo feito parte do coral (Glee), que, um dia, foi orgulho para o colégio. Quando o professor responsável pelo coral é demitido, Will se presta a assumí-lo, porém, não recebe apoio do diretor, que diz que o Glee só pode continuar se chegar às finais do campeonato regional de corais, para ter verba.
Num primeiro momento, aparecem só os alunos poucos populares, chamados de Losers, para integrar o coral: Rachel, uma garota "timida" que acha que nasceu pra ser estrela; Kurt, um aluno homossexual que gosta bastante de moda; Mercedes, uma aluna negra que acha que deve ser a estrela do show sempre; Tina, uma emo cuja melhor amiga é sua terapeuta; e Artie, um aluno de cadeira de rodas que toca guitarra. Porém, a principio, as coisas estão saindo pessimamente, e, por um acaso, depois de sua tentativa fracassada de divulgar o Glee para o time de futebol da escola, Will ouve Finn (um dos alunos que joga no time de futebol da escola) cantando no chuveiro, e descobre que a voz dele é o que falta pra dar certo, então, ele meio que obriga Finn a entrar para o coral.
Quando Will diz que tem que sair da escola, pois sua esposa está gravida e ele precisa arranjar um emprego melhor, o Glee, que até então só brigava, se organiza que faz uma apresentação de tirar o folego! Will volta e, de repente, todos os olhos estão voltados, novamente, para o coral da escola. E isso não é um bom sinal.
Temos, além dos seis integrantes originais do Glee e do Will, Emma, a "instrutora" vocacional (me fugiu a palavra que deveria ficar no lugar de instrutora... @.@' Não consigo me lembrar, desculpem) da escola, que tem uma paixonite por Will; Sue, a treinadora das líderes de torcida, que tem sempre a atenção e as melhores verbas do colégio (e que não gostou nadinha do Glee ganhando destaque); temos a esposa de Will, a qual esqueci o nome (desculpem por isso também), que é consumista compulsiva e incurável; e, além deles, há Quinn, namorada de Finn, rainha da equipe de torcida e presidente do Clube do Celibato (mas, pelo que li, me parece que ela andou desobedecendo as próprias regras que criou com alguém), que, posteriormente, entra para o Glee com mais duas meninas da equipe, como espiãs da treinadora Sue.
As músicas são ótimas, todos têm vozes de tirar o folêgo! A série é muito boa, exatamente por mostrar os alunos menos favorecidos de um jeito bastante divertido. E eu tenho que elogiar a maneira como eles alternam de cenas cômicas e descontraídas com algumas mais tensas e pesadas (vê-se isso melhor no capítulo 2).
Glee está na 1ª temporada ainda, mas, como está fazendo um sucesso estrondoso, é muito provável que venha a ter uma 2ª. Torço para que ocorra!
Vamos falar dos contras! (Bem, tem uns spoilers, então, se vocês quiserem pular, pulem ^^')
Rachel, a garota supostamente tímida (aquela que acha que nasceu pra ser diva, mas não passa de poeira escolar para o resto), me dá nos nervos! Ela é muito superficial e fútil. Ela começa sua apresentação na série dizendo que, hoje em dia, pior do que ser pobre, é ser anonimo (e pode ser que ela não esteja de todo errada, afinal, o tal de Zina ficou famoso mas continuou miserável e, mesmo assim, quem se importa com dinheiro? Eu me importo -.-'), mas, meu problema com ela não foi esse. Logo vê-se que ela gosta do Finn, mas ele namora a Quinn, e, mesmo assim, ela quer porque quer ficar com ele. No episódio 2, ela tenta se aproximar mais do Finn, e entra para o Clube do Celibato, que é a maior porcaria sacana que eu já quase vi (mamãe fez a vez da censura ¬¬')! Depois, aproveitando-se da falta de contentamento do Glee com a música que Will escolheu para a primeira apresentação oficial do clube para a escola (ele escolheu Le Freak, e cismou em dizer que todos amam Disco. Eu amo Disco, então, concordei cegamente! O que piorou minha opinião sobre a Rachel), resolve que vai dar um jeito na situação. E, a emenda ficou pior que o soneto, como diria a minha avó. Rachel diz que o que os alunos querem é sexo, e acha uma música totalmente vulgar e indecente para ser cantada numa escola, faz a coreográfia à altura da música (se é que vocês entenderam o que eu quis dizer) e acaba escandalizando os professores, o diretor, porém, caindo nas graças dos alunos. Aproveitando-se disso, Sue dá um golpe triste em Will, e, agora, ele tem uma lista de determinadas músicas que o Glee pode cantar (Todas com Jesus ou Balão no nome). Will, mesmo todos sabendo que a culpa é de Rachel, admite que tem a culpa, dizendo que errou, achando que podia reerguer o coral com a mesma música que fez isso em 93.
Aproveitando-se ainda mais da situação, entram as três espiãs de Sue, lideradas por Quinn, que fazem um teste para entrar no coral, e que foi muito bom, sim! Quinn é ótima e se enquadra nas condições que o diretor impôs, logo, sem muita saída, Will dá a vaga de voz feminina principal (que era de Rachel), para Quinn. Rachel fica muito aborrecida, e eu achei que ela realmente mereceu, pra largar mão de ser besta, como diria meu vovôzinho querido.
Porém, não acaba por aí! Antes do final do capítulo 2, Rachel faz mais uma tolice! Ela resolve que vai tomar o lugar de Quinn no coração de Finn, e apronta tudo para transar com ele... Ò////Ó
Porém, não dá certo, e a estupida da Rachel fica sem o "papel principal" e sem o cara. Quis demais e não teve nada.
Bem, espero que tenham entendido porque eu não fui com a cara da Rachel. Ela ferrou com a vida do Glee todinho em 5 minutos! Como gostar de alguém assim? ò.ó
Entretanto, estamos somente começando, então, muita coisa vai acontecer em Glee, ou seja, Rachel ainda pode se redimir, e os outros podem me deixar com raiva também, né?
Quanto a reclamações, é só isso mesmo, de resto, aprovado! Aprovo, recomendo e posso até me arriscar a dizer que vocês vão se divertir também! ^^/
Não sei se comentei, porém, segunda-feira passada, comprei toda a coleção de Harry Potter, mais o livro "Os contos de Biddle, o bardo", por R$80,00 na
Submarino. A minha amiga Bru que me avisou, faz mais ou menos um mês, dessa promoção, ela mesma comprou primeiro e eu, que me descobri apaixonadíssima por HP, comprei também. Chegou quarta passada. Eu já tinha lido os dois primeiros livros (Tsu me emprestou), então, comecei o terceiro. Acabei já (li em 9 dias o livro). Eu leio bastante rápido, sou um Bichinho de Livro, e com muito orgulho! XD
Estou amando demais! J.K. Rowling é uma escritora fantástica! Eu a admiro muito, muito mesmo.
Bem, tudo bem, cada autor que eu gosto é fantástico à sua maneira. Gosto da psicológia inversa e da ironia bastante ácida de Lemony Snicket (Desventuras em Série); gosto do jeito único da Anne Rice, você é capaz de descobrir qual personagem está narrando a história mesmo sem que ele se apresente, pois ela realmente encarna cada personagem com maestria; P.C. e Kristen Cast são bastante descontraidas, e, apesar de Zoey me desagradar um pouco, elas são escritoras muito boas também; O mesmo para Meg Cabot. Até a Meyer é boa com as palavras, apesar de eu não ser muito fã de Crepúsculo.
Mas, J.K. merece ser a escritora mais bem paga da história. Se um dia eu puder ser só metade do que ela já é, eu vou ficar muito, muito contente!
Já vou indo, esse post ficou enorme!
Obrigada por tudo!
Tenham um bom restinho de semana!
Kisus,
Tenie F. Shiro.




- Postado por: Tenie F. Shiro às 01h01

[ ]

___________________________________